Ser Brasil

BLOG SERBRASIL

Ser Brasilitária é ter a coragem de encontrar o Fio da Meada
Quem lê o mundo e o modo como se organiza, Ouve (através de encontros e conversas) e Vê de maneira aberta e sem pré-conceitos nunca está sozinho.

Ser Brasilitária é acreditar em primeiro lugar em si, nos seus sonhos, empreender e saber que logo ali, encontrará um mundo de possibilidades. Basta ousar e lançar-se ao mundo, saindo de trás dos muros, ir para rua, conversar com todos, seguir caminhos diferentes, trilhas incomuns, sinais, rumores e acima de tudo usar a intuição do que vem a ser a sua maior vocação. Descubra-se. Dispa-se de egos e vaidades. Disponha-se a ser um “pontinho” ligando-se a um outro e formando a grande rede do conhecimento solidário.

Flavia Wass Jornalista e idealizadora do projeto Brasilitária: O Fio da Meada É Um Jeito Brasil de Ler, Ver e Ouvir.

Encontre o seu!


"A linguagem não é um simples acompanhante, mas um fio profundamente tecido na trama do pensamento." Linguista Dinamarques Louis Hjelmslev

APOIOS


Ajudando a tecer

Encontre o Fio da Meada: Um Jeito Brasil de Ler, Ver e Ouvir forma indivíduos que reconhecerão as suas raízes, essências e organiza futuros empreendedores do seu saber. Contamos com apoios, parcerias e patrocínio de empresas empenhadas e comprometidas com a responsabilidade social e mais: é primordial, que contenham em sua filosofia empresarial paradigmas relacionados ao bem-estar humano, a alegria, a informação, a nossa origem brasileira, um significado e, acima de tudo, valorizando o que temos de melhor no País, o ser humano!

Formando a Teia para o Entusiasmo na caminhada

O projeto Fio da Meada: Um Jeito Brasil de Ler, Ver e Ouvir busca atender a formação dos futuros trabalhadores, empreendedores, criativos seres humanos, preparados para um novo mundo de oportunidades, pois segundo pesquisa realizada, isolados em instituições de ensino e preocupados com o "sucesso" individual, estão desconectados da realidade coletiva, colaborativa e solidária.


"Se pode dar somente um presente ao teu filho, que seja o entusiasmo." Bruce Barton

sábado, 29 de maio de 2010

Terra Dominicana e Habitos


Cheguei sem indicações ou relações e livre da banca de praxe examinadora.Sabia ser dona de uma destreza engraçada em quebrar o gelo.Enquanto,qualquer mulher esbanjando sensual beleza brasileira e sabendo poder abusar,ao contrário prefiria lançar mão de minha expontânea alegria num divertido jogo de usar bem a comunicação verbal e o charme dos movimentos nem sempre externalizados.Fitou-me indicando ser necessário falar ou escutar.Sem impor quem seria deixou- me decidir quem daria fim naquele singular silêncio. Alegre e comunicativa iniciei contando o quanto estava organizada, preparada e instalada, por menos que estivesse, mas assim o desejava e seria.Como sentia-me bem em mover-me nas ruas, com o transporte público, a pensão aconchegante até achar um outro lugar, o tipo de acolhimento, o entrosamento e a comoção de ter participado da festa da béfana, no dia anterior, domingo ao lado de onde estavamos, na Piazza Navona.Os quatro meses só fizeram aumentar a vontade de retornar.Com mais habilidade, ainda emendei a introdução divertida e fui abrindo minha pasta e tirei meu projeto, explicitado apenas pelo virtual computer personal, explanei meus objetivos e para ilustrar minha tese contei uma história em forma de parábola, tudo em italiano como prometi a mim mesmo, pisando em solo estrangeiro.Admirava minha desenvoltura sem negar total “coinvolgimento”/envolvimento ao rir, acenar com a cabeça em gestos de pura sincronia quando o universo conspira harmonia.Passou sem sentir aquela inusitada entrevista.A despedida, o abraço e falei com ênfase de ter a certeza de haver encontrado minha tribo e mais uma colocação que o deixou emocionado. Na porta recomendou com preocupação de pai todos cuidados a serem observados.Ouvi com respeito de filha agradecendo à todos os anjos,santos e guias como todo bom brasileiro em terra de Dominicanos e habitos.